Vícios em jogos já arruinaram famílias inteiras

Vícios em jogos já arruinaram famílias inteiras

 

Todo tipo de vício é uma situação complicada, o alcoolismo, o tabagismo, são coisas difíceis de livrar, e com viciado em jogos não é diferente, ele não consegue se controlar e isso vem destruindo famílias inteiras através dos anos, levando algumas pessoas a perderem tudo em apostas e levando esses indivíduos a depressão profunda, prejudicando a convivência com familiares, amigos e até mesmo atrapalhando seu lado profissional.

 jogos

Todo tipo de vício é uma situação complicada, o alcoolismo, o tabagismo, são coisas difíceis de livrar, e com viciado em jogos não é diferente, ele não consegue se contentar.

 

Jogadores compulsivos – Histórias de dor e sofrimento

Aceitar que é um viciado em jogos não é fácil, pois o jogador sempre tende a pensar que acertará a próxima mão, mas a coisa é bem mais complexa, ele não tem o autocontrole de parar quando se esta perdendo e continua a apostar, geralmente em casas de apostas a mesa nunca perde, são lugares com esquemas para que o apostador só perca, seja em jogos de baralho, ou de roleta, a tendência sempre é a casa ganhar e o apostador sempre acha que na próxima mão terá mais sorte nos jogos, mas não é o que acontece e algumas vezes chega a perder uma fortuna nessas apostas, alguns chegam a perder tudo, casa, carro, o que leva a um ponto desesperador.

Existem fatos relatados de que o apostador já perdeu cerca de 8 mil reais em uma dessas apostas, em grupos de apoio essa pessoa disse que tinha um bom salário, que era funcionário público e se viciou em maquinas caça níquéis e chegou ao extremo de perder o montante sem mesmo perceber que estava gastando tudo isso, o que o levou a procurar ajuda.

Uma mulher chegou a tentar envenenar o marido para conseguir mais dinheiro para apostar em jogos de azar, outro quase perdeu o casamento por causa de jogos, toda semana comprava cerca de 800 a 1000 cartões da loteria federal.

As pessoas viciadas em jogos são grandes contadores de histórias, quem está viciado é capaz de inventar todo tipo de pretexto para conseguir dinheiro para suprir seu vicio.

Esses fatos são relatados em um grupo de apoio chamado Jogadores Anônimos em Florianópolis, onde viciados em jogos se reúnem semanalmente para desabafar suas angustias e procurar um apoio no próximo.

Um dos casos mais atuais e não menos perigoso é o vício em jogos eletrônicos. Com a modernidade e a era da internet fica cada dia mais difícil se livrar de convites para esses jogos.

São crianças e adultos que ficam horas grudados em frente aos computadores e vídeo games modernos em campeonatos online, e é uma luta diária para os viciados nessas novas modalidades de jogos, alguns dizem que até excluem os jogos, deletam, mas logo voltam a reinstalar, pois a angústia e a vontade de jogar é maior.

No caso desses jogos modernos o indicado é ficar de olho em seus filhos, crianças ou adolescentes, impor limites, horários, pois alguns até mesmo perdem a concentração na escola levando a notas baixas e até mesmo reprovação por causa desse vício.

Como em todo outro tipo de vício, o apoio da família é fundamental para o viciado em jogos, é necessário que se entenda o problema e procure ajuda, seja em grupo de jogadores anônimos, psicoterapia, grupo de orações, a família tem que estar ao lado do individuo e ajudá-lo a resistir as tentações.

Não é uma tarefa fácil, mas se essa pessoa estiver sozinha é ainda mais complicado, muitas vezes o viciado em jogos não se dá conta de seu vício, e quando dá por si já é tarde demais, perdeu todos os seus bens matérias e os mais preciosos da sua vida que é o amor de seus familiares.

Se você conhece alguém com esse problema ajude, o vício em jogos é muito perigoso e traz um grande sofrimento a todos.

 

Você gostou das nossas dicas? Deixe seu comentário, sua opinião é muito importante para nós!

 

Homens alcoólatras – quando beber socialmente ultrapassa os limites.

Homens alcoólatras – quando beber socialmente ultrapassa os limites.

O alcoolismo é uma doença que causa grandes sofrimentos ao individuo como para todos que os cercam, e a luta é diária para que se consiga sair do fundo do poço e a ajuda de todos os que os cercam.  Homens alcoólatras é mais comum do que mulheres, claro que também existem casos de alcoolismo feminino, mas a maior taxa de incidência é no universo masculino e o que acontece com as famílias dessas pessoas é algo realmente assustador, pois com a doença vem os casos de agressão, as separações de famílias, filhos traumatizados.

 

homens alcoólatras- Beber socialmente ou alcoolismo?

 

Homens-alcoólatras

Como sabemos o momento em que beber para relaxar daquela semana vira uma dependência grave? Todos os finais de tarde principalmente as sextas-feiras os barzinhos lotam de pessoas que vão tomar um chopinho ou uma cervejinha para retirar a tensão da rotina, só que algumas pessoas ultrapassam esses limites e se entregam ao vício.

Claro que se você sair para beber com os amigos em casos de comemorações e até mesmo para aliviar a rotina não te tornará um homem alcoólatra, mas é preciso ficar atento aos sinais, se você se pega fugindo para a bebida a cada novo problema que surge em sua vida ai sim está na hora de tomar providencias e evitar que sua vida vire de pernas para o ar.

Como a bebida é uma droga lícita e vendida em qualquer lugar é de mais fácil acesso a todos acaba que muitas pessoas nem percebam que estão doentes.

E infelizmente o alcoolismo é mais comum do que podemos imaginar, todos os dias famílias inteiras são despedaçadas por esse mal, mas existem esperanças, o primeiro passo é aceitar a doença e encarar o problema de frente e aceitar os tratamentos, o mais difícil é encarar a internação mas muitas vezes é a melhor solução, alguma clinicas são especializadas no tratamento da dependência.

Mas nada substitui o carinho e a dedicação da família, sim, pois mesmo que as pessoas tendem a julgar não é um caso de falta de vergonha ou comodismo é uma doença e precisa ser tratada como tal, não adianta conviver com um alcoólatra e achar que ele vai se virar só, é uma comunhão, uma ajuda mútua, já imaginou se o pai da família é alcoólatra e em uma reunião familiar os presentes resolvem tomar uma cervejinha? Não cabe no contexto, não ajuda.

O ideal é procurar grupos de apoio, grupos de orações, orientação psicológica, tudo como uma maneira de ajudar o alcoólatra.

Nesses momentos a aproximação de Deus é fundamental para alguns entendimentos e para se adquirir sabedoria, na palavra dele encontramos conforto para carregar o cargo do dia a dia e assim você conseguirá ter mais paciência para lidar com essa situação tão complicada, já diz a palavra que a mulher sábia edifica seu lar, então se seu esposo está passando por esse grande problema que é o alcoolismo.

Participar de reuniões dos alcoólicos anônimos ajuda pela oportunidade de compartilhar as experiências, uma maneira de enxergar que não se está sozinho nessa luta, que existe sim uma solução, a terapia com um psicólogo semanalmente também te leva a questionar os motivos de ter chego a tal ponto, ir ao fundo do problema para encontrar a força para reagir e dar a volta por cima.

Homens alcoólatras muitas vezes não têm noção de seus atos quando estão tomados pelo vício, muitas vezes tomam certas atitudes no calor da dependência que vem a se arrepender depois, por isso lute! Erga a cabeça aceite o problema e reaja siga em frente, todos temos o direito de errar e reconhecer esse erro já é o primeiro passo dessa grande caminhada!

 

 

Mulheres alcoólatras – como se libertar do vício

Mulheres alcoólatras – como se libertar do vício

Desde que a mulher adquiriu sua emancipação e direitos iguais sobre o homem, além de aumentar a participação no mercado de trabalho, na vida social, o que decorreu a correria para a criação de filhos, e responsabilidades do lar e com isso também aumentaram as incidências de doenças como o infarto, por exemplo, acidentes vasculares cerebral.

 

Com essa independência surgem também outros problemas que antes não faziam parte do universo feminino, hoje a mulher pode ir a bares, boates sozinha e consequentemente aumentaram o consumo de álcool pelas mulheres, e isso vem apresentando dados preocupantes, a taxa de mulheres alcoólatras aumentou com o decorrer dos anos, o que vem destruindo a saúde e até mesmo destruindo famílias, infelizmente o alcoolismo está longe de ser um problema exclusivo masculino.

O alcoólatra, na maioria das vezes, não tem forças para sair do vício sozinho, e acabam entrando em um sofrimento sem fim, a família sofre e em caso de mulheres alcoólatras a coisa ainda é mais complexa, principalmente se houver filhos onde o sofrimento acaba por ser ainda maior, a mãe geralmente é o esteio da família, é com quem os filhos tem um laço maior desde o ventre e se ela se entrega a esse caminho fica complicado educar bem os filhos.

Como se libertar do vício

 mulheres-alcoólatras

A primeira coisa que um alcoólatra precisa é do apoio e carinho daqueles que o cercam e isso não é diferente com as mulheres alcoólatras, é necessário que a família entenda que é realmente uma doença e precisa de tratamento, não um capricho ou falta de vergonha na cara, é um colaboração mutua nos caso das mulheres casadas o apoio do parceiro é fundamental e às vezes isso não acontece, geralmente as mulheres que entram por esse caminho é porque já vem de caso de depressão decorrente de algum antecedente, agressões, brigas constantes com o parceiro.

Uma família unida é imprescindível nesse processo de cura, pois haverá momentos de extrema tristeza, como a abstinência, e nisso é necessário algo para se segurar, seja nos alcoólicos anônimos, ou em um grupo de oração, terapia em grupo ou individual e nos casos mais extremos a internação.

 

O alcoolismo é um enorme problema atual e era mais comum em homens, já ouvimos várias histórias de famílias desfeitas, pais agressivos e agora nos deparamos com esse novo quadro que é são as mulheres alcoólatras.

Para a família, é importante manter tudo que possa tentar o dependente, evitar festas familiares com bebida alcoólica, evitar passeios em lugares que se possa cair em tentação.

Procurar orientação, participar dos grupos que o alcoólatra participa, dar apoio, ir a igreja, grupos de orações, nessas horas o que a pessoa precisa é do apoio de todos.

Para o dependente, sabemos que é mais difícil enxergar a coisa quando se está dentro dela, por isso é necessário tem uma grande força de vontade, apesar de ser difícil é importante pesar o que está perdendo, ver como sua vida está desmoronando, o primeiro passo é aceitar que está doente e aceitar toda a ajuda oferecida, é lutar para sair do poço, se apegar com Deus, procurar novos caminhos.

Durante anos o alcoolismo foi encarado como falta de vergonha do dependente, que a pessoa não se controlava pois não queria, mas hoje as coisas estão mais claras e ele realmente é visto como uma doença e que merece sim tratamentos adequados e atenção.

Seja qual for a decisão a ser tomada, se será freqüentado reuniões, ou um psicólogo, ou no caso de internação, o apoio da família sempre será o melhor remédio para passar por essa fase difícil.

Infelizmente o alcoolismo feminino existe, temos homens alcoólatras como também temos mulheres alcoólatras é o preço da modernidade e um fato que precisa ser encarado.

 

Você já passou por algum caso de dependência alcoólica? Conhece alguém que já passou por isso? Deixe seu comentário, sua opinião é muito importante para nós.

 

CARTA DE ADEUS DE UM JOVEM PARA SEU PAI

 

O ADEUS DE UM JOVEM

Esta carta foi publicada em abril de 1991 em um boletim do hospital São Camilo em São Paulo, escrita por um jovem de 19 anos vítima das drogas.
Eis os dizeres do jovem:


“Acho que neste mundo, ninguém procurou descrever o seu próprio cemitério.
Não sei como o meu pai vai recebê-lo, mas preciso de todas as forças enquanto é tempo.
Sinto muito, meu pai.
Acho que este diálogo é o último que tenho com senhor.
Sinto muito mesmo…Sabe, pai está em tempo do senhor saber a verdade de que nunca desconfiou.
Vou ser breve e claro. Certo? O tóxico me matou.
Travei conhecimento com meu assassino, o tóxico, aos 15 ou 16 anos de idade. É horrível, não pai?
No começo, foram as tonturas, depois o devaneio, e a seguir a escuridão.
Não fazia nada sem que o tóxico estivesse presente. Depois veio a falta de ar, o medo, as alucinações; e logo após, veio a euforia do pico novamente.
Eu me sentia mais gente que as outras pessoas. E o tóxico, meu amigo inseparável, sorria, sorria…Sabe pai, a gente, quando começa acha tudo ridículo e muito engraçado.
Até Deus eu achava ridículo e, hoje, no leito de um hospital, eu reconheço que Deus é o mais importante de tudo no mundo e que sem a ajuda Dele, eu não estaria escrevendo esta carta.
Pai, só tenho 19 anos, e sei que não tenho a menor chance de viver. É muito tarde pra mim, mas para o senhor, meu pai, tenho um último pedido a fazer.
Diga a todos os jovens que o senhor conhece e mostre a eles esta carta. Diga a eles que, em cada porta de escola, em cada cursinho de faculdade, em qualquer lugar, há sempre um senhor elegantemente vestido e bem falante, que irá mostra-lhes o seu futuro assassino e destruidor de suas vidas, que os levará à loucura e à morte, como aconteceu comigo.
Por favor, faça isso meu pai, antes que seja tarde demais para eles.
Perdoe-me, pai. Já sofri demais. Perdoe-me também por fazê-lo sofrer pelas minhas loucuras.
Adeus, meu pai.”

 

Um mês depois de escrever esta carta, o jovem morreu no hospital.
Fico a me perguntar até onde vamos tolerar este tipo de morte, será que um dia terá solução? Será que não falta atitudes dos pais para combater esse tipo de problema?
Quando leio uma história como essa, penso que atitudes simples poderiam mudar totalmente esse cenário! Se os pais fizessem pelo menos uma refeição junto dos filhos, teriam 50% de chances de jovens e adolescentes não entrarem no mundo das drogas, e isso custaria uma refeição diária juntos!
Como dizia o Padre Léo Tarcísio Gonçalves Pereira: pai e mãe que rezam com seus filhos na hora das refeições, para deitar ou para levantar, não perdem os filhos para as drogas NUNCA! Pois sempre terão proteção Divina e eles próprios terão sabedoria para discernir o certo do errado, a oração é o maior poder da terra!

O PERIGO DO VÍCIO

UMA CASA VAZIA

 Mais um fato que aconteceu na Casa de Moradores de Rua em São Paulo, uma das primeiras entrevista que fiz com o Sr. Pedro, tive a impressão que DEUS tinha feito o homem Santo e a mulher Demônio, de tanto que ele se defendia e atacava as mulheres.

Quis saber qual a razão de tanto rancor e porque ele era contra as mulheres, a questão era que ele não se conformava com a situação que se encontrava, e na sua opinião, a culpa era toda de sua esposa! Disse-me que certo dia, chegando do trabalho no final da tarde não encontrou mais seus filhos, nem sua esposa, nem móveis, nada! A casa estava totalmente vazia.

Quando percebeu que tinha sido abandonado pela sua esposa, entrou em desespero e a partir daí começou a pensar que mulheres do mundo inteiro não prestavam, e o desequilíbrio o levou para as ruas.

Na segunda entrevista com Sr. Pedro, fui perguntei como ele fixou viciado em bebidas alcoólicas, e ele me respondeu que gostava um pouco de beber, mas isto não tinha nada a ver com seu abandono. Comecei a revirar o passado do Sr. Pedro, perguntando se ele já tinha chegado em casa bêbado e acabei descobrindo que além de chegar em casa embriagado, e relutante, me confessou que chegou a bater em sua esposa algumas vezes.

Me confessou também que muitas vezes quebrou as coisas dentro de casa e se descontrolou por causa do vício da bebida, e disse: “- realmente já cometi todos esses erros dentro de casa, e muitos outros que nem posso falar, porque  tenho vergonha e as vezes sinto que até mereço estar morando nas ruas.”

CONCLUSÃO

 As vezes julgamos as pessoas pela aparência, e não conhecemos o seu lado pessoal , o vício da bebida, ou outro qualquer, é uma doença grave que  destrói as famílias por inteiro. O viciado se torna um desequilibrado por muitos motivos, até mesmo por tramas gerados em sua infância dentro de suas próprias casas, os exemplos dos pais, dos irmãos e outros familiares deixam marcas  para sempre!

Luiz Alexandre.